INVESTIGAÇÃO

-As nossas formações estão onde a arte encontra a ciência-

O conjunto de estudos e provas que suportam os Banhos de Floresta e a Terapia da Floresta tem aumentado nos últimos 20 anos. Embora a maior parte da investigação tenha sido realizada até agora no Japão e na Coreia, novas investigações internacionais têm estado a surgir. Através de ciência aplicada, o FTI procura implementar a investigação na sua atividade. As formações são uma combinação entre a investigação mais recente e inovadora, sobre florestas e saúde humana, e uma prática internacional de conexão com a natureza, ciência e tradições da sabedoria antiga.

Por outro lado, o FTI espera corrigir a ausência de avaliações sobre o efeito da Terapia da Floresta em populações específicas, incentivando e apoiando projetos de investigação em diferentes países, baseados no Modelo 5x5 de Terapia da Floresta do FTI.

-Benefícios gerais por estar na natureza-

O reconhecimento dos benefícios para a saúde de passar algum tempo na natureza não é novo. Antes do aparecimento da medicina moderna, as pessoas buscavam saúde e cura na natureza, passando algum tempo em spas naturais, para acalmar os nervos, ou sanatórios para a tuberculose. À medida que as sociedades se urbanizam e as pessoas passam mais tempo em ambientes fechados, aumenta a necessidade de um maior contacto com a natureza. Com o aumento do tecnostress, o FTI espera que as pessoas “troquem o tempo de ecran pelo tempo verde”.

O contacto com a natureza tem muitos benefícios para a saúde e é um fator protetor na prevenção de dificuldades de saúde mental. O contacto com a natureza pode oferecer uma abordagem prática para a promoção da saúde, prevenção de doenças, tratamento e reabilitação.

As florestas são reconhecidamente ambientes restauradores. Oferecem oportunidades para melhorar a saúde, através de atividade física, relaxando e socializando na natureza. O termo “Medicina da Floresta”, aparecido no Japão, é um conceito focado nos benefícios que os ambientes florestais específicos têm na saúde, pela inalação de fitoncídios (compostos orgânicos voláteis encontrados em árvores e plantas).

-A participação em Banhos de Floresta e Terapia da Floresta pode:-

  • Melhorar o funcionamento do sistema imunológico
  • Aumentar o relaxamento e reduzir o stress.
  • Restaurar do cansaço cognitivo.
  • Melhorar o humor e reduzir a depressão.
  • Aumentar os níveis de vitalidade e energia.
  • Reduzir a pressão sanguínea.
  • Aumentar as células exterminadoras naturais (NK).Diminuir os níveis de ansiedade e ruminação.
  • Ajudar a dormir.
  • Melhorar a saúde cardiovascular.

O estudo da Forest Europe “Saúde humana e gestão sustentável das florestas” (Human Health and Sustainable Forest Management, 2019) destaca cinco mecanismos principais, em termos dos benefícios das florestas para a saúde:

  • Exposição reduzida ao ruído e poluição do ar.
  • Restauro do stress e restauro psicológico e fisiológico.
  • Sistema imunitário fortalecido através do contacto com a natureza.
  • Aumento da atividade física e redução da incidência da obesidade.
  • Melhores contactos sociais.

-Lista de Estudos-

O' Brien, L ( 2017) The health and wellbeing benefits of trees, woods and forests

Stigsdotter et al (2016) Forest design for mental health promotion-using perceived sensory dimensions to elicit restorative responses, Landscape and Urban Planning

Hales, D et al (2014) Green perspectives for public health: A narrative review on the physiological effects of experiencing outdoor nature. International Journal of Environmental Research and Public Health

Sonntag-Öström E, Stenlund T, Nordin M, Lundell Y, Ahlgren C, Fjellman-Wiklund A, Slunga-Järvholm, L, Dolling A. 2015. "Nature's effect on my mind." - Patients' qualitative experiences of a forest-based rehabilitation programme. Urban Forestry & Urban Greening 14(3): 607-614.

Sonntag-Öström E, Nordin M, Dolling A, Lundell Y, Nilsson L, Slunga Järvholm L. 2015. Can rehabilitation in boreal forests help recovery from exhaustion disorder? – The randomised clinical trial ForRest. Scandinavian Journal of Forest Research. 30:8, 732-748. DOI:10.1080/02827581.2015.1046482.

LiisaTyrväinenaAnnOjalaaKaleviKorpelabTimoLankicYukoTsunetsugudTakahideKagawad.2014.
The influence of urban green environments on stress relief measures: A field experiment
Journal of Environmental Psychology, Volume 38, June 2014, Pages 1-9

Gentin S, Chondromatidou, AM, Pitkänen K, Dolling A, Prästholm S, Palsdottir AM 2018. Defining nature-based integration. Perspectives and practices from the Nordic countries. Reports of the Finnish environment institute 16.

Hansen et al (2017) Shinrin-Yoku (Forest Bathing) and Nature Therapy: A State-of-the-Art Review, Environmental research and public health.

Nilsson et al (2011) Forests, Trees and Human Health and Wellbeing : European Union Cost Action E39 research.

Lee at al (2017) Effects of forest therapy on depressive symptoms among adults: A systematic review. International journal of environmental research and public health

Kamioka et al (2012) A systematic review of randomized control trials on curative and health enhancement effects of forest therapy. Psychology Research and Behavior Management

Karjalainen et al ( 2010) Promoting human health through forests: overview and major challenges. Environmental Health and Preventative medicine

Li, Q (2010) Effects of forest bathing trips on human immune functioning: Environmental Health and Preventive Medicine

Morita et al (2007) Psychological effects of forest environments on healthy adults: Shinrin- yoku as a possible method of stress reduction: Public Health.

Item added to cart.
0 items - 0,00